O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Sobre peregrinar (e viver)


Estava pensando outro dia que peregrinar, para mim, é uma bela metáfora para VIVER, para quem, de quem de fato, vive! Que melhor imagem para o VIVER que alguém que viaja com curiosidade, de olhos e coração abertos para o novo, que não tem medo do desconhecido e que se abre para sempre aprender?

Ou como fala Phil Cousineau: “Para mim a arte da peregrinação não é mais que a habilidade para criar pessoalmente sua própria jornada, e a prática cotidiana de apreciar, degustar e absorver cada um dos seus estágios”.

Estranho falar sobre peregrinação enquanto vivemos tempos em que estamos tão confinados e com nossa mobilidade possível tão limitada? Não necessariamente, existe a peregrinação para dentro de nós…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *