O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Sobre o livro Legado das Deusas 2

Na vida a gente recebe alguns Chamados: alguns a gente aceita, outros por diversas razões recusa. Eu recebi dois chamados claros e outros bem mais sutís para escrever um segundo volume do “Legado das Deusas”. E nesses 6 anos do lançamento do primeiro volume conheci várias deusas incríveis que ficavam me tentando a escrever sobre elas e suas incríveis histórias, mas ia deixando esses chamamentos meio de lado. Até que, em meados do ano passado (2019)  a Lizandra, dona e editora da Pólen mais uma vez me pediu para eu pensar  sobre isso. Disse não, que tinha acabado de lançar com minha parceira Bia nosso novo livro “Círculo de Mulheres – as novas irmandades” que tinha nos tomado 2 anos de escrita e queria dar um tempo. Mas, aí…

(…) a gente controla o que pede nossa alma??? O que acontece quando recebemos, de novo, um Chamado? Bobagem…
Depois do dia dessa conversa, comecei a acordar com constância por volta das três horas da madrugada com deusas rondando minha mente; elas não me deixavam dormir! “Elas” atormentaram meu sono por cerca de um mês, até que me rendi pois não adiantava lutar, o livro já estava sendo gestado dentro de mim.

E em março agora, 2020,  o “Legado das Deusas 2” nasceu, o livro e seu baralho-oráculo. No primeiro volume foram 20 deusas, nesse segundo 22.São elas: Asase Yaa, (Gana/Africa Ocidental), Avó Nokomis (povos nativos norte-americanos), Bari Gongju, (xamanismo coreano), Ceres (greco-romana), Cerridwen (celta-galesa), Euá,(afro-brasileira/iorubá), Freya, (nórdica), Iamuricumás, (indígena brasileira), IxChel, (maia), Jacy, (indígena brasileira), Lilith, (suméria/hebraica), Mari (basca), Mati Syra Zemlya e Mokosh, (eslava), Moiras (grega), Mulher que Muda (povos nativos norte-americanos), Nut, (egípcia), Obá, (afro-brasileira/iorubá), Ostara(germânica), Pachamama, (andina), Pele, (havaiana), Sarasvati, (hindú) e Sofia (gnóstica cristã).

No livro há sempre o relato do mito da deusa e as “lições metafóricas” que elas podem proporcionar para as mulheres contemporâneas segundo minha ótica e as ilustrações que fiz, que estão no livro e compõem 0 baralho-oráculo.

E há ainda a Introdução onde discorro sobre a Grande Deusa Mãe, a primeira Manifestação Divina reconhecida pela humanidade e o Encerramento onde falo sobre um arquétipo que vem se manifestado de forma crescente na realidade, a Irmandade Feminina. e narro um ritual de fertilidade feminino muito antigo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *