O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Sobre Círculos de Mulheres

circulo1
Uma Velha Sábia, não inventou – os círculos femininos são arquetípicos – mas teorizou e criou um movimento mundial, chamado de Milionésimo Círculo: Jean Shinoda Bolen. A origem desse movimento foi uma experiência dela.
Foi em 1986: Jean Bolen tinha 49 anos, estava se separando e havia há pouco tempo publicado, com grande sucesso AS DEUSAS E A MULHER. Estava numa grande crise quando recebe o convite de uma leitora inglesa convidando-a a fazer uma peregrinação com ela e mais duas amigas pelos locais ligados a lenda do Graal. Jean Bolen não conhecia nenhuma das três mulheres com quem compartilharia essa peregrinação. Uma série de sincronicidades, além do momento de crise, faz com que ela aceite o convite e o maravilhoso livro O CAMINHO DE AVALON, é o relato dessa jornada. Ela conta seu contato com a força das mulheres reunidas.
circulo2
“ As minhas companheiras – Elinore, Freya e Soozi – eram um ingrediente tão importante dessa etapa da viagem como o local que visitamos. Eu não as conhecia antes dessa peregrinação e, ainda assim, nos reunimos como se fossemos velhas amigas. A presença do arquétipo da criança em todas nós estava evidente na alegria que demonstrávamos, em nossa espontaneidade. Em um momento de quietude em um lugar sagrado, no impulso coletivo de meditar durante algum tempo, na naturalidade de em dizer algo profundo, encontrávamos a sábia e a sacerdotisa entre nós. (…) Havia “mães” suficientes para todas e, portanto, não havia necessidade de uma de nós assumir esse papel perante outra ou todo o grupo. Éramos mulheres independentes e também carinhosas, e entre nós o que era necessário era feito.
Esse pequeno grupo de irmãs peregrinas tornou-se a experiência-semente, o padrão, o campo mórfico para os grupos, oficinas e peregrinações de mulheres que se tornaram uma parte do meu trabalho posterior – isso e a minha participação em um grupo feminino de oração e meditação que tem se encontrado regularmente nos últimos 6 anos. (…) Estarmos juntas nesse espaço nos alimenta. É como se gerássemos um murmúrio inaudível em que a psique de cada mulher contribui para um harmônico que é entoado ao coração. Isso é consolador, como estar com a Mãe, não a mãe pessoal, mas a mãe arquetípica”.
circulo3
O círculo é um grande caldeirão da Velha Sábia que cozinha um novo Feminino e junto com ele, a potencialidade de um novo mundo, melhor que esse.
O círculo é o espaço sagrado da Deusa, um grande útero arquetípico onde uma nova forma de ser mulher e gente está sendo gerado! E também um grande colo que nos envolve com calor e afeto e traz o Sagrado para cada uma de nós, para o cotidiano, o pequenininho, o efêmero, na nossa Mãe Terra e todos seus filhos! O Sagrado na vida e não em um paraíso perdido! No aqui e no agora!

4 comentários

  1. Amei, amei, amei!!!
    Que texto lindo. E lá foi minha cabeça para Glastonbury, como uma criança alegre se protegendo na barra da saia da mãe e correndo de repente pela grama em declive…
    Um círculo com amigas que vibram na mesma frequência do coração também alimenta a alma …
    Gratidão!
    Bjs

  2. Maria Isabel Ferreira Moreira disse:

    Bom dia! Acompanho o site já a algum tempo. Tenho aprendido muito e tendo tido a oportunidade de conhecer livros e temas importantes. Moro no interior de Minas Gerais. Já fiz círculos de mulheres
    ” Celebrando o Feminino” e desses grupos surgiu a 11 anos um grupo de mulheres que se encontram 1 vez por mês na minha casa para contar histórias. Depois das histórias lanchamos.No encontro de Natal nos presenteados com um livro das histórias contadas naquele ano. Já são 10 livros.Estamos começando o 11 e temos mais de 350 histórias. São histórias de mulheres,
    antroposóficas deusas, mitologias de vários povos,sufis, etc…Somos atualmente 16 mulheres, sendo que 10 mulheres estão desde o começo. É um encontro alegre,afetivo e onde também contamos de nós. Como diz Drumont “nossas histórias são mais bonitas que as de Robson Crusoé ” Os encontros não tem objetivo terapêutico mas se torna terapêutico.
    Grata por poder compartilhar essa preciosa vivência que fazemos num círculo e que a cada encontro cura mais as nossas almas. Abraços!

    1. biapicchia disse:

      Maria Isabel, que delícia saber desse seu círculo que já tem 11 anos, e lida com essas maravilhas que são os contos! Seu comentário iluminou o começo desse dia para mim, grata pelas boas palavras, abraço!

    2. crisbalieiro disse:

      Oi Maria Isabel, que bom ler isso! Acreditamos de coração que os círculos de mulheres são uma das melhores e mais potentes ferramentas para transformamos o mundo um lugar melhor para todos!
      Um grande abraço em você e em todas essas outras 15 “irmâs” do seu círculo.
      Cris

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *