O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Práticas de percepção – A Dama e o Unicórnio


Uma gororoba mal feita é aquela comida onde misturaram tanta coisa que não tem sabor de nada, não tem cheiro gostoso e não é bonita para ver.
Também a vida pode virar uma gororoba sem graça por causa da mistura da falta de tempo com o excesso de informações e compromissos. E digerir essa gororoba pode dar uma azia emocional, que é mistura de ansiedade com desanimo.
Dá para diminuir os compromissos? Aumentar o tempo? Resolver imediatamente a ansiedade, stress, desanimo? Não?
Então, o que proponho aqui são algumas práticas de percepção que não tomam muito tempo e são grátis.
Em resumo, elas consistem em nos concentrar em apenas um estímulo (uma sensação corporal ou percepção) conectando isso com nossos sentimentos e fazendo associações emocionais.
  
Elas servem para melhorar a falta de concentração e a nos devolver ao nosso próprio corpo e ao aqui-agora.
Elas nos informam sobre nós mesmos, e nos ajudam areconectar tanto ao mundo “de fora” como ao “de dentrounindo o perceber ao sentir.
Elas podem nos proporcionar momentos de prazer simples longe de aparelhos eletrônicos e da complicação que se tornou a vida urbana.
É como quando a gente se recupera de uma gripe e volta a sentir o cheiro e o sabor da comida: dá  prazer, porque a gente presta atenção aos sentidos.   
É o oposto da gororoba!

E, como afirma o psicólogo James Hillman, a atenção é o que dá intensidade (e graça) à vida.

Enfim, elas funcionam como mini rituais adequados para nossa época!

Vou coloca-las aqui nas próximas quintas feiras.

Hoje trago apenas um video e algumas informações abaixo sobre nossa facilitadora desses exercícios, a maravilhosa Dama do Unicórnio


 A Dama e o Unicórnio (La dame à la licorne) é o título de uma série de tapeçarias  consideradas como um dos grandes trabalhos da arte medieval na Europa, que inspiram inúmeras obras de arte, poemas, musicas e livros. Quando os vi pela primeira vez, fiquei absolutamente encantada, como estou até hoje com elas.

Estima-se que tenham sido tecidas no final doséculo XV, em Flandres, e atualmente se encontram noMuseu medieval de Cluny, em Paris.
Todas as seis tapeçarias mostram umaDama e um Unicórnio, além de outros animais e inúmerossímbolos heráldicos e mitológicos, sobre um fundo vermelho florido (estilo mille-fleurs).

 Os tapetes são geralmente interpretados como mostrando osseis sentidos – gosto, audição, visão, olfato, tato e “À mon seul désir (“Ao meu único desejo“), cuja interpretação é mais ambígua.
Muitos estudiosos entendem que nessas imagens os sentidos não estão conectados apenas ao corpo, mas também à alma. 
Elas ensinam uma maneira de espiritualizar a matéria e corporificar o espírito. É nesse sentido que irão os exercícios que postarei aqui.

2 comentários

  1. Arthemise disse:

    Precisando muito disso!
    De antemão agradeço por compartilhar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *