O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

O Feminino e os livros: FLORES RARAS E BANALÍSSIMAS

Uma amiga me emprestou esse  livro , creio que em 1996, e na ocasião lembro que gostei muito dele. Com vontade de lê-lo de novo, acabei comprando um exemplar para mim, em 2005. Li e gostei de novo. Agora voltei a relê-lo para essa tarefa a que me propus de falar de livros e do feminino aqui no blog.

FLORES RARAS E BANALÍSSIMAS – a história de Lota de Macedo Soares e Elisabeth Bishop, foi escrito por Carmen L. Oliveira e editado pela Rocco em 1995. Como o próprio sub-título diz, é uma biografia delas, mas, mais que delas, da relação amorosa das duas, que dura quase 20 anos e termina com o suicídio de Lota, em 1967, em Nova Yorque, no apartamento de Bishop. O que acontece na vida das duas antes do encontro entre elas só aparece en passant e o que acontece com Bishop, depois da morte da Lota também não é matéria do livro. 

Para quem não sabe quem foram elas, Elisabeth Bishop foi uma poeta americana, considerada hoje um dos poetas mais importantes do século XX. Lota de Macedo Soares foi uma brasileira, de origem aristocrática, amiga de muitos intelectuais brasileiros e estrangeiros e que foi a principal responsável por criar o Parque do Flamengo, no Rio, durante o governo Lacerda. 

Além de ser uma biografia de duas mulheres absolutamente especiais foi escrita, na minha opinião, de um jeito totalmente feminino; acredito que é um dos motivos que me fazem gostar tanto do livro. Ele é escrita como se fosse ficção, as duas e as outras pessoas envolvidas na história são tratadas como personagens , a quem a autora cria ou recria sem pudor sentimentos, emoções, pensamentos, dialogos internos ou interpessoais. Não tem a busca do rigor factual e por isso, para mim soa muito mais verdadeiro: é como se ela contasse uma história do ponto de vista de quem a viveu. 

E, principalmente no primeiro terço do livro, que narra o início do romance entre as duas, a linguagem é extremamente saborosa e imaginativa – especialmente vindo dos “personagens populares” envolvidos na história da duas. E ( isto é uma observação que fiz na leitura de agora) me lembrou a linguagem de Monterio Lobato no Reinações de Narizinho, linguagem que me cativou na infância pela sua carga de beleza de imagens e que senti também lendo esse livro. 
O segundo terço achei um pouco mais maçante, porque é muito focado nos inúmeros caminhos e descaminhos para a criação do Parque do Flamengo, da obsessão de Lota com isso e do gradual desgaste da relação das duas. 
O último terço, muito mais melancólico, é sobre a derrota de Lota na sua luta por gerenciar o Parque, no que essa obsessão causa na relação das duas, a volta de Bishop para os Estados Unidos e a morte de Lota. 

Acho que é um livro fundamentalmente sobre o amor-paixão, esse sentimento ao mesmo tempo tão forte e tão frágil e que nos leva aos mais elevados picos de felicidade e aos mais fundos vales da infelicidade. As duas são mulheres sensacionais: criativas, inteligentes, cultas, sensíveis, se encontram na idade madura (tem cerca de 40 anos quando começam a se relacionar), se amam profundamente, mas isso não impede que se firam mortalmente e que uma faça a outra sofrer de forma inimaginável. 
Faz a gente pensar e muito sobre o amor e sua dificuldade, ambiguidade e estranheza. 

O cineasta Bruno Barreto comprou os direitos e filmou o livro; deve ser lançado no Brasil em maio. Raramente um filme chega perto de um livro, mas estou bem curiosa para vê-lo. Gostei do que ele disse numa entrevista: “Não é uma biografia. Lota e Elizabeth são personagens dessa história de amor. Uma história em que a forte fica fraca porque não sabe lidar com a perda, e a fraca, perdedora, vai ficando forte porque lida melhor com isso.” 

De qualquer forma, é um livro bonito, bom de ler, tem uma história incrível e um título e uma capa que acho belíssimos: vale a pena! 

 

 

Texto de Cristina Balieiro

2 comentários

  1. O que é melhor minha querida? O contexto, o romance ou o seu relato? Muito bom! Vou à busca desse livro – o filme já estou esperando ansiosamente.Bjs

  2. Acho que vc vai gostar bastante, Wanice! Depois me conta aqui ou no face, ok?
    Bj
    Cris

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *