O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Fluindo como um rio, ocupada em viver


Adoro esse texto de Colette Dowling, que fala sobre a vivacidade, espontaneidade e integridade que estão presentes nas vidas bem vividas e que podem ser bons objetivos para as que querem ser bem vividas. As imagens e pinturas são da Georgia O´Keefe, e dedico esse post ao Pedro.    
  “O objetivo final é a espontaneidade emocional — uma vivacidade interna que permeia tudo o que fazemos, todos os projetos de trabalho, todas as interações sociais, todos os relacionamentos amorosos. Ela provém da convicção: “Sou a força básica de minha vida”. E ela conduz ao que Karen Horney denomina sinceridade — a capacidade de “ser sem fingimento, ser emocionalmente sincero, ser capaz de colocar-se integralmente nos próprios sentimentos, no trabalho, nas próprias crenças”.
Penso nas mulheres que conheci e que parecem possuir essa sinceridade. Algumas são pessoas criativas e altamente talentosas; outras levam vidas mais simples, menos visivelmente dramáticas.

Mas quer sejam multi-talentosas e sofisticadas habitantes de centros urbanos, quer sejam donas-de-casa do interior, a característica de “estar presente” — de se haverem “libertado” — é inegável. A maneira como experimentam a vida é qualitativamente diversa da daquelas que não se libertaram; a das primeiras é mais rica, menos rotineira, menos regulada por regras e convenções institucionais. Até sua forma de expressar sua experiência é diferente.
Pearl Primus, a coreógrafa, conta como executou seu doutorado em antropologia simplesmente sendo:

Minha vida tem sido como subir um rio. Vez ou outra eu ouvia cânticos atrás de alguma curva do rio, e lá ia eu e me ocupava com viver. Às vezes anos se passavam e aí eu me dava conta: ‘Ah, meu Deus, preciso terminar este doutorado’. 
Assim, no processo de fazer o doutorado, tenho vivido muitos rios e muitas pessoas. A antropologia se tornou parte de mim, em vez de algo super-imposto”.”
 Pg 284, Complexo de Cinderela, Colette Dowling
Post de Bia Del Picchia

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *