O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Filme: Branca de Neve e o caçador


Apesar de ter uma madrasta má – muito má mesmo! – aqui Branca de Neve não é uma vitima indefesa.
Pelo contrario, é uma moça ativa, que faz acontecer. Luta, sabe o que quer, é inteligente.
Os homens me parecem ser mais coadjuvantes da briga das duas mulheres, que radicalmente polarizam o Bem e o Mal.
Elas simbolizam a arquetípica concepção de que “o que acontece ao rei acontece à terra”.
Isso quer dizer que um mau rei ou rainha fará com que sua terra não frutifique, tornando-se uma terra devastada onde nada brota.
Em outras palavras, num lugar onde os governantes não têm honra não há felicidade para o povo.
Será que isso só acontece nos contos de fadas?
Assim, a terra que a má rainha governa é seca, perigosa. Já onde Branca passa florescem as plantas, cantam os pássaros…
Por isso ela terá o apoio de todos e será a dirigente da revolta contra a rainha.
Enfim, gostei dessa história que mantém a pegada tradicional no aspecto mitológico, mas na qual é a princesa, e não seu namorado príncipe, que assume seu sangue real e o dever de guiar o povo.
Não curti tanto a atriz principal, que a meu ver é um pouco inexpressiva.
Mas o filme é muito belo, bem feito, e para quem gosta de contos de fadas como eu, vale a pena assistir.

1 comentário

  1. Ola
    Bom dia amei o post
    quando puder passa lá no meu cantinho!
    pra ficar por dentro das minhas pubricações e só me seguir não custa nada neh!!
    http://maria-pensutti.blogspot.com.br/
    beijoss!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *