O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

MULHERES CONTAM SUAS HISTÓRIAS EM LIVROS

Eu adoro biografias. Mas gosto ainda mais de autobiografias e livros de memórias. E, de mulheres! As mulheres dão, normalmente, tanto ou mais importância para o que acontece no seu mundo interno, quanto aos acontecimentos exteriores. E é no mundo subjetivo que está meu grande foco de interesse! Afinal, escolhi ser psicóloga, não por acaso, certo?
Hoje quero falar dos meus livros autobiográficos ou memorialistas TOP Five (quase tudo hoje tem TOP Five). Só não garanto que meu TOP Five fique em cinco: afinal precisão numérica atualmente não me diz muito respeito. E os livros não estão listados seguindo uma ordem qualquer, a não ser a da minha memória.
Quero começar com A SOMA DOS DIAS, da Isabel Allende. É uma delícia! A escrita dela mistura um tom auto gozador, com emoção a flor da pele. E a vida dela é mais louca que sua ficção; parece novela mexicana. Chorei e ri lendo tudo que aconteceu com essa admirável senhora, depois da morte da filha dela, a Paula (também título do outro livro de memórias dela, da sua infância no Chile a morte da filha. Também muito lindo!) 
Outro que adorei foi SONHOS DE TRASGRESSÃO, da Fátima Mernissi. Ela é uma importante feminista, nascida no Marrocos, mas nesse livro ela conta sua infância num harém, onde viveu (e o harém não tem nada a ver com que consta no nosso imaginário) e as fantásticas figuras femininas de lá e tudo sob a ótica da menina de oito anos. Livro adorável! 
Outra que também conta a história da infância e adolescência sob a ótica da menina e da adolescente é Jeannette Walls, em O CASTELO DE VIDRO. Foi a família mais bizarra sobre a qual já li a respeito! Beira o crime o que os pais delas fizeram com os filhos e ao mesmo tempo ela também obteve coisas incríveis daqueles dois malucos! Dá um nó na cabeça; faz a gente refletir muito, além de ser muito bom de ler. 
Mais um escrito com a ótica da idade em que estavam sendo vividos os acontecimentos contados: A PRIMEIRA LUZ DA MANHÃ, de Thrity Umrigar. Ela conta sua vida em Bombaim, Índia, dos seis aos 21 anos, quando então imigra sozinha para os Estados Unidos. Me emocionei muito com esse também. 
Outro livro de memórias, na minha opinião imperdível é A ESCADA ESPIRAL, da Karen Amstrong. Hoje ela é uma respeitada especialista nas religiões judaica, cristã e islâmica. Escreveu um livro famoso, entre vários outros: Uma História de Deus. Mas, em seu livro de memórias ela conta sua dura jornada para chegar aonde chegou e toda a fragilidade que viveu quando deixou de ser freira. É uma história de coragem e vulnerabilidade. Lindo livro! 
Gosto demais também de MEDO DOS CINQUENTA, da Érica Jong. Acho que toda mulher quando estivesse chegando aos 50 anos devia ler esse livro! É uma lição de como envelhecer amadurecendo e se apropriando de si mesma. E ao mesmo tempo é muito divertido. 
Terminando por aqui, para quem quiser ler um livro fantástico, mas um soco no estomago, sugiro CISNES SELVAGENS, de Jung Chang. Conta a história de vida da avó, na China pré Mao, da mãe na era Mao e dela que depois acaba imigrando para a Inglaterra. Terrível, assustador, emocionante é essa saga feminina. 
Tenho outros livros para citar, mas ficam para outros posts. 
Nesse são duas autoras americanas, uma inglesa, uma marroquina, uma chinesa, uma indiana, uma chilena. Nenhum livro autobiográfico ou de memórias escrito por uma brasileira. 
Alguma leitora ou leitor pode me sugerir um? 

 

PS: Esse post é ilustrado pela figura de um gato, porque livros e gatos combinam muito! Quando leio em casa (o que faço muito) meus dois gatos ficam bem pertinho, tirando seus imensos cochilos, embalados pela energia do prazer que a leitura desperta em mim! 

Texto e ilustração de Cristina Balieiro

5 comentários

  1. Anônimo disse:

    ´Lei Vôo Livre, de Ignês Baptistella, é incrível! Ela construiu uma vida após os 54 anos! Estudou, conheceu um amor e viajou o mundo inteiro. Quando a maioria de nós está se achando no fim da linha ela estava nascendo.

    Um abraço
    Cristiane Marino

  2. Cristiane, vou ler, sem dúvida! Já gostei do senhora. Super obrigada pela dica.Depois posto o que achei: valeu!
    Abç
    Cris

  3. Anônimo disse:

    Grata pela lista.

    De todas estas conheço só Isabel Allende.

    Sobre gatos, eu tinha um que enquanto eu escrevia cartas pr'um amigo de Recife, ele ficava no meu colo querendo teclar comigo. Gatos captam energia mental, né?…
    Depois minha irmã sonhava com o que digitávamos lá em Brasília. rs* Uma história louca que qualquer dia conto. Não consigo postar mensagens aqui que não sejam anônimas. Então vou dizer que sou daquele blog que você visitou há um tempinho atrás – Beatriz.
    **Reflexões Sobre o Invisível**.
    Minha última postagem é uma réplica da sua última. Com os devidos créditos!

    Uma excelente semana pra nós. =)

    (corrigido)

  4. Oi Nayre

    Que ótimo que vc gostou e espalhou a postagem, que na verdade é da Cris. Gostei do seu blog tb!
    Boa semana, bjs Bia

  5. Anônimo disse:

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Deixe uma resposta para Cristina Balieiro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *