O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Será que devo ser tão boazinha assim?

A pessoa que se acha muito boazinha e não reconhece as próprios imperfeições e falhas tem mais dificuldade de lidar com as dos outros. E isso também a deixa mais indefesa contra pessoas de mau caráter, pilantras e abusadores.

Isso porque “quanto mais conhecemos nossa própria iniquidade, mais nos tornamos capazes de nos proteger contra as dos outros; o mal em nosso interior reconhece o mal no exterior. (…) Seu conhecimento obscuro é seu escudo”, diz a junguiana Marie Louise von Franz no livro O feminino nos contos de fada.

Em resumo, todo mundo tem um lado “bom” e outro “menos bom”, que é chamado de sombra. Conforme vamos percebendo esse lado em nós, aprendemos a lidar com ele e a reconhecer o mesmo lado “menos bom” nos outros.

No ebook Às vezes princesa, às vezes não”, Chapeuzinho Vermelho descobre que se você perceber que tem um lobo interno vai farejar quando um lobo externo se aproximar e vai saber o que fazer com ele. Trecho do conto:

Quando se forçava a agir como a boa menina que esperavam que fosse, ela se sentia como que distante de si mesma, e quando agia como queria sentia-se envergonhada, mas não falsa para si mesma. Ao fazer dezoito anos assumiu que gostava mesmo das coisas sombrias da vida e pronto”.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *