O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Se tentou se adaptar e não conseguiu, talvez você tenha muita sorte, diz Clarissa Pinkola

Quando osElaBosque esforços que a gente faz para se encaixar em alguma situação não dão certo e nos sentimos isoladas e rejeitadas como o Patinho Feio, só vemos perdas e sofrimentos. 

No entanto, aqui  Clarissa Pinkola Estés fala dos ganhos, que são muitos.  Mais que isso, talvez seja a melhor coisa que pode nos acontecer! De Mulheres que correm com os lobos, perene livro referencia. 

 

 

 

“Se você SombraElaBosquetentou se adaptar a qualquer tipo de forma e não conseguiu, talvez você tenha muita sorte. É verdade que você pode ser um exilado de alguma espécie, mas sua alma está abrigada. Ocorre um estranho fenômeno quando a pessoa tenta se adequar e não consegue. Muito embora a criatura diferente seja rejeitada, ela ao mesmo tempo é empurrada para os braços dos seus verdadeiros companheiros psíquicos, quer se trate de uma linha de estudo, de uma forma de arte, quer de um grupo de pessoas.

É pior ficar ali onde não nos sentimos bem do que vaguear perdida por um período em busca da afinidade psíquica e profunda de que precisamos. Nunca é errado ir à procura do que necessitamos. Nunca mesmo.

Há algo de útil em toda essa torção e tensão. Algo no patinho está sendo temperado, está sendo reforçado por esse isolamento. Embora essa situação não seja algo que se deseje a ninguém por nenhum motivo, seu efeito é semelhante ao da produção de diamantes pela pressão aplicada ao carbono puro — ela acaba levando a uma profunda amplidão e clareza na psique.

Existe um aspecto da alquimia no qual a substância bruta do chumbo é golpeada e ElaElaBosquemartelada. Embora o isolamento não seja algo que se deseje por ser divertido, provém dele um ganho inesperado. As dádivas do isolamento são inúmeras. Ele elimina a fraqueza com os golpes. Ele erradica as lamentações, proporciona um insight penetrante, aguça a intuição, assegura o poder incisivo de observação e de visão de perspectiva jamais alcançados pelas pessoas “aceitas”.

Apesar de ter seus aspectos negativos, a psique selvagem consegue resistir ao isolamento. Ele faz com que tenhamos um anseio ainda maior no sentido de liberar nossa própria natureza verdadeira, e provoca em nós um desejo intenso por uma cultura que combine com essa natureza.

Só esse ancirculoElaBosqueseio, esse desejo já faz a pessoa prosseguir. Ele faz com que a mulher continue a procurar. E, se não consegue encontrar a cultura que a estimule, geralmente ela resolve criar, ela mesma, essa cultura. Isso é bom, pois, se ela a criar, outras que vinham procurando há muito tempo chegarão misteriosamente um dia, proclamando com entusiasmo o fato de estarem procurando por ela o tempo todo.”

4 comentários

  1. MARIA REGINA GOMES disse:

    Apesar de tanta procura este, enfim, um conteúdo que abraça minha existência. Realmente só, realmente rejeitada, com muitas pauladas na alma. Sem nunca ter me encontrado e estando sempre a procura. Belíssimo texto. Obrigada.

  2. biapicchia disse:

    Sim, a Clarissa fala direto com a alma feminina!

  3. eliete thochi rossi disse:

    Me senti encontrada. Nossa veio ao meu encontro algo que não compreendia. Mas ao final a luz ao fim do túnel. Grata.

  4. Maria Thereza Fragoso disse:

    Considero este o caminho do auto conhecimento. Penso que as pessoas que estão “integradas” estão, na verdade, se dobrando ou mutilado sua alma em busca de aceitação. Paga-se um preço enorme para que isso ocorra. Abraços amigas “desajustadas” distantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *