O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Poesia é remédio – Receitas do Dr. Mario Quintana

Quando estou muito cansada de alma e de corpo, precisada de leveza e beleza, me imagino deitada em uma rede, num alpendre que dá defronte a um pomar. 
Sopra uma brisa suave e fresca que traz o cheiro das frutas amadurecendo nas árvores. 
Ao meu lado, sentada em uma velha cadeira de balanço, está uma senhorinha também bem velha, enrugada, de fala mansa e baixa, mas de olhos muito vivos! 
Ela tricota com lãs muito coloridas um enorme cachecol e, sussurra, meio que pra ela, meio que pra mim, meio que para o nada, esses poemas de Mario Quintana. 

POEMINHO DO CONTRA 
Todos esses que aí estão 
Atravancando meu caminho, 
Eles passarão… Eu passarinho! 
A VERDADEIRA ARTE DE VIAJAR 
A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa, 
Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo. 
Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali… 
Chegamos de muito longe, de alma aberta e o coração cantando! 
SE EU FOSSE UM PADRE 
Se eu fosse um padre, eu, nos meus sermões, 
não falaria em Deus nem no Pecado 
— muito menos no Anjo Rebelado
e os encantos das suas seduções, 
não citaria santos e profetas: 
nada das suas celestiais promessas
ou das suas terríveis maldições… 
Se eu fosse um padre eu citaria os poetas, 
Rezaria seus versos, os mais belos, 
desses que desde a infância me embalaram 
e quem me dera que alguns fossem meus! 
Porque a poesia purifica a alma …
e um belo poema — ainda que de Deus se aparte — 
um belo poema sempre leva a Deus!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *