O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Pele, a Senhora dos vulcões e a raiva

Pele é a deusa havaiana dos vulcões e do fogo, da destruição e criação da Terra e da dança sagrada.

Pele vem nos falar sobre a importância da raiva em nossa vida. Pode soar estranho falar sobre a raiva tendo um lado positivo, quando tantas doutrinas e visões dizem que “devemos erradicar a raiva de nossos corações”. Nas mulheres então a raiva é ainda mais mal vista. Isso quando a raiva feminina não é “classificada” como fruto da TPM ou como ressentimento de se ser “mal amada ou mal comida” ou pior, visto como sintoma da falta de racionalidade ou mesmo da loucura femininas típicas.

Psicologicamente falando, a visão da raiva como uma questão de fraqueza ou falha de caráter é uma grande bobagem. A raiva é uma emoção e não há como alguém impedir a si mesmo de senti-la, como não controlamos nada do que sentimos. O máximo que conseguimos fazer é reprimir a consciência de estarmos sentindo raiva. Isso pode ser muito prejudicial; essa raiva não reconhecida pode agir na pessoa sem que ela tenha consciência e/ou ser projetada no outro. E muitas vezes a raiva é absolutamente legítima e expressa uma reação emocional bastante saudável da pessoa.

A questão é aprender a lidar com nossa própria raiva de forma adulta. 

Trechos do livro O LEGADO DAS DEUSAS 2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *