O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Outra forma de luta

No último fim de semana eu, a Bia e um grupo de mulheres refletimos sobre as lutas, os desafios da colocação de limites, as “guerras” que enfrentamos e se existe formas de batalhas onde se use outras armas que não a violência. Armas como a estratégia, a inteligência, o humor, o desapego…A reflexão ocorreu a partir de um conto de fadas contado pela Bia – “O reino das meninas”. Hoje trago aqui um mito de Oxum que fala sobre esse outro tipo de luta.

Mamãe Oxum, a dona das águas doces, uma vez salvou a humanidade com sua astúcia. Um dia, Ogum, o mais bravo guerreiro de todos os orixás e Senhor das Forjas, um dia se cansou da cidade e de seu trabalho com o ferro, resolvendo voltar para a floresta e ser um caçador.
Ele sabia que era muito poderoso e que nenhum orixá iria obrigá-lo a fazer o que não quisesse. Deixou de fazer as armas, os utensílios e as ferramentas usadas na agricultura e partiu em sua jornada, abandonando tudo. Com isso, os homens começaram a morrer de fome, pois não tinham mais como plantar sem suas ferramentas.
Todos os orixás foram até Ogum tentar convencê-lo a voltar, mas a nenhum ele atendeu. Os orixás estavam desesperados, sem saber o que fazer, quando Oxum se ofereceu para buscar Ogum. Eles riram e debocharam dela: disseram que ela nunca conseguiria, afinal os melhores guerreiros já tinham ido até lá e nada. Falaram inclusive que Ogum poderia machucá- la ou matá-la, pois era muito violento. Mas ela insistiu e insistiu, dizendo que tinha poderes de que eles nem suspeitavam. Depois de muita conversa, acabou convencendo-os.
Vestiu então uma linda saia esvoaçante, deixou seus longos cabelos soltos, ficou descalça, passou um perfume arrebatador e partiu para a floresta. Ao chegar perto de onde Ogum estava morando, ela começou a dançar: uma dança leve, ondulante e suave como o vento. Ogum ficou encantado, mas não se aproximou. Oxum continuou dançando e, aproximando-se ainda mais, passou mel na boca de Ogum. Continuou dançando e molhando a boca de Ogum com o mel até que ele começou a segui-la. Ela ia na frente e ele atrás, acompanhando inebriado. E assim foi lentamente levando Ogum até a cidade.
Ogum não se deu conta do estratagema de Oxum e, de repente, lá estavam os dois na praça da cidade. Os orixás todos esperavam ali e aclamaram a volta de Ogum. Temendo ser chamado de fraco por ter sido enganado por uma mulher bonita, Ogum disse que tinha voltado por sua própria vontade. Ele então voltou às forjas, a fome e a morte foram espantadas, e dessa forma doce, suave, esperta e pacífica, Oxum salvou a humanidade.

Trecho do livro O LEGADO DAS DEUSAS – volume 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *