O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

O Feminino e os Livros: A CIRANDA DAS MULHERES SÁBIAS

Neste post e no da próxima semana vou falar de dois livros pequenininhos no formato e no número de páginas, mas carregados de uma imensa sabedoria. Ambos foram escritos por duas velhas sábias e, coincidência – ou não – presentes da Bia para mim. 

O dessa semana é A CIRANDA DAS MULHERES SÁBIAS, escrito pela poeta, cantadeira de histórias e analista junguiana Clarissa Pinkola Éstes. Foi escrito quando ela já tinha mais de 60 anos e publicado no Brasil pela Editora Rocco em 2007. 


É um livro escrito de uma forma essencialmente poética, usando imagens, símbolos e metáforas femininas carregados,  ao mesmo tempo,  de uma delicadeza e força sensacionais! Ele vai  falar do arquétipo da Velha Sábia e das suas contrapartidas humanas, as mulheres velhas e sábias, las abuelas(as avós). 


Começa convidando todas nós, as leitoras, a entrar na “pequena casa na floresta”, a sentarmos perto do fogo acolhedor da lareira e começarmos a conversar e contar histórias sobre o que importa! 

Vamos “falar” sobre como ser jovem enquanto velha e velha enquanto jovem que,  como diz,  é estar “plena de um belo conjunto de paradoxos mantidos em perfeito equilíbrio”. 
Esse “conjunto de paradoxos” quer dizer duas coisas: em primeiro lugar, que em toda mulher, mesmo quando muito jovem e até quando menina, vive a velha sábia. Para acessá-la basta a reconhecer e a honrar. 
Em segundo, toda mulher velha e sábia tem o Espírito (com E maiúsculo, significando o Espírito Sagrado) jovem e a Alma Velha e é desse “casamento”que surge a sabedoria. 

Vou colocar alguns trechos do livro para que possam saborear sua profundidade e encanto diretamente da fonte. 


“uma ocasião especial” é qualquer ocasião à qual a alma esteja presente.

…e o espírito se forma sempre que duas almas ou mais se reúnam com apreço mútuo, sempre que duas mulheres ou mais falam de “assuntos que importam de verdade”. 


A tarefa crucial da grande mãe é simplesmente a seguinte, e nada além disso: viver a vida plenamente. 


O fato de uma mulher em processo permanente de tornar-se mais sábia estar constantemente se reenraizando na vida da alma é um extremo ato de libertação. Ensinar as jovens a fazer o mesmo – “jovens” significando qualquer uma com menos conhecimento, menos experiência do que ela própria – é o extremo ato radical e revolucionário. 


Escolher tornar-se mais sábia significa sempre escolher aprender de novo. 


Numa psique equlíbrada, essas duas forças, o espírito jovem e a alma velha e sábia, se mantém num abraço em que mutuamente se reforçam. 


Todas nós pertencemos a uma linhagem longuíssima de pessoas que se tornaram lanternas luminosas a balançar na escuridão, iluminando o próprio caminho e os passos de outras. Elas conseguiram isso por meio da decisão de não desistir, por sua exigências de que o outro sumisse da sua frente, por sua atitude previdente de esperar até que o outro não estivesse olhando, pela sabedoria de ser como a água e descobrir como passar pelas menores fendas ou por sua tranquila determinação de abaixar a cabeça e simplesmente pôr um pé diante do outro até conseguir chegara onde quer. 


As abuelitas foram testadas pelo tempo. Elas são aquelas que não apenas sobreviveram, mas que também se dedicam a tarefa de vicejar. 


Naquela época eu acreditava, como criança, e acredito hoje, como psicanalista e mulher mais velha, que se você viver sua vida profundamente a seu próprio modo e da melhor forma possível, sua vida passa a ser não apenas um exemplo, mas um banquete para outras – uma abundância que, entre os justos e plenos de coração, há de voltar para você multiplicado por mil. 


Entendem o que quero dizer com o encanto mágico-poético das palavras desse livro? 
Tem ainda nove lindas orações dirigida às mulheres sábias e uma das melhores autobiografias – uma biografia secreta da autora – que já li, no sentido de expor uma alma. 
Livro IMPERDÍVEL!!!

Texto de Cristina Balieiro

4 comentários

  1. Elaine PB disse:

    Olá Cristina, sempre leio o blog, gosto demais dos assuntos abordados, mas esse em especial toca minha alma ainda mais profundamente. De Clarissa Pínkola li tudo! admiro-a !! Parabéns pelo post. um abração, Elaine (turma da Bia)

  2. Elaine, gosto muito também da Clarissa, mas esse livro para mim é sua joia rara! Obrigada pelas palavras. Um forte abraço para vc também
    Cris

  3. Anônimo disse:

    Obrigada Cristina!!!Lindo post. Vc realmente é uma inspiradora de almas, com essas maravilhosas dicas de leitura! Bjs Raquel

  4. Obrigada, Raquel: palavras como as suas nos inspiram a continuar escrevendo. Bjs Cris

Deixe uma resposta para Cristina Balieiro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *