O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Madonas Negras – Nossa Senhora da Cripta da Catedral de Chartres


Chartres era um templo druida e depois romano, e é uma igreja cristã desde o sec. VI.  Sempre foi um centro de peregrinação, e na cripta uma Madona Negra era venerada em especial pelas mulheres grávidas, com o nome de Notre Dame de Sous-Terre. 
 Parece que, antes de ser uma igreja, nesse local havia uma caverna onde se venerava uma deusa prestes a dar a luz – a própria caverna já é em si um símbolo da Deusa Mãe. 
Reza outra lenda que nos tempos pré cristãos havia aqui uma imagem dedicada à “Mãe do Deus ainda não nascido”.  É interessante que essa Madona tenha os olhos fechados… 

A imagem original  dessa Virgem Negra era muito antiga, mas foi queimada durante a Revolução Francesa, em 1793. A da foto, que existe hoje, é uma cópia feita em 1856 segundo descrições da época. 
Vou mais tarde fazer um post sobre essa fantástica catedral dedicada à Virgem, muito ligada ao feminino sagrado – tanto  que tem duas Madonas negras, uma em cima e essa embaixo. Assim em cima como embaixo, diz a Tábua Esmeralda de Hermes Trimesgistro… coincidência? 

5 comentários

  1. Malu Machado disse:

    Muito interessante. Não conhecia esta Madonna. “Mãe do Deus ainda não nascido”, uma deusa da terra e negra. Belo trabalho encontro por aqui. Parabéns! Continuem desvendando mistérios.

  2. Oi Beatriz, puxa, que coincidência, estou fazendo algumas viagens seguindo o caminho da Deusa e estive na Catedral de Chartres, fiz a visita da cripta com um guia sensacional, foi uma experiência inesquecível, preparei um post sobre ela para o meu blog, vou soltar em breve.
    Bjs

  3. Obrigada Malu, e Cristiane, aguardo o link para o seu post!
    bj Bia

  4. Eliana B Menezes disse:

    Fiquei olhando essas imagens de madonas negras. Porque negras, porque o material era escuro, como a madeira, ou outros motivos que escureçam o material? Nenhuma delas tem traços negros. Será que não é uma fantasia, uma linda história criada depois, associando Nossa Senhora a Grande Mãe ? Ou será que a intenção do escultor essa a de associar Nossa senhora à imagem da Grande Mãe (e, talvez, muitos quisessem), mas o escultor não ousou usar traços da raça negra ou pintar uma Nossa senhora com tinta preta? O fato é que, em madeira, pedra ou desenhadas, as Madonas tem a cara da mulher branca da moda da época em que foram feitas, com exceção da Madona da Catedral de Chartres que fica na capela de baixo. Nessa, o escultor conseguiu misturar todas as raças numa só face. Aliás, belíssima imagem.

    1. biapicchia disse:

      Eliana, sim, em muitos casos o material da imagem escureceu por razões naturais. Porém a origem das Madonas Negras (segundo especialistas em mitos como Marie Louise von Franz e outros) é Isis, a antiga deusa egípcia que tinha a cor negra. Então a mistura de traços europeus e a cor parece mais uma indicação da universalidade do arquétipo da mãe escura, a Grande Mãe ligada à terra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *