O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Linguagens Simbólicas – os aspectos do feminino no tarô

Texto de BETOH SIMONSEN

Além de fazer uma bela Jornada pelo mundo simbólico em geral, Betoh Simonsen é conceituado tarólogo.

Às quartas, aqui vamos reproduzir uma serie de artigos de sua autoria sobre os arcanos femininos do tarô, tema que tem a ver com nosso blog. O texto abaixo foi elaborado como suporte à sua palestra realizada no SESC de Santos (SP), em 20 de março de 2011.
O artigo completo está em www.clubedotaro.com.br, e contato com o autor pode ser feito pelo email betohsimonsen@uol.com.br.

Linguagens Simbólicas – os aspectos do feminino


É bastante freqüente hoje em dia falar-se em desenvolver o lado feminino. O que poderia ser isto?

Quando percebemos a natureza em seu estado mais intocado, podemos perceber inúmeras nuances de sons, odores, cores formas, entrelaçadas em um todo orgânico e ondulado. Quando sofre a ação do ser humano, percebemos formas retas, retangulares e quadradas, que é a ação da mente, que procura entender, separar, organizar, controlar. Normalmente as ruas organizam-se em retângulos. As casas, prédios e edifícios são quadrados. Os animais, grosso modo, são confinados. As plantas que nascem espontaneamente são chamadas de ervas daninhas, que fazem o mal, que prejudicam. Estes fatos cotidianos nos mostram quanto nos afastamos do feminino planetário em poucos milênios.

É claro que isto não é uma realidade absoluta, e uma planta que nasce ao lado de uma penitenciária demonstra isto (já vi uma foto com este tema). O lado feminino pressupõe acolher, sentir-se em unidade, expressar reconhecimento e compaixão, envolver-se, nutrir, cuidar, mas verdade seja dita, também limitar (o ovo que nutre, mas prende), liberar, expulsar, dissolver e destruir. Estas recentes chuvas mundiais demonstram isto e mostram também como as destruições ativam os aspectos valorizados do feminino, como compaixão e solidariedade.

Alma como contraponto da Mente. O papel da Consciência.

A alma, o aspecto feminino dos seres sencientes (usando uma expressão muito usada pelos tibetanos, que significa os que sentem), pode ser considerado como um aspecto do ser que passa por um processo de evolução. Ela, como o nome diz , anima e dá vida a um corpo. Sente-se atraída e atrai um objeto de manifestação (atração magnética), envolve-se, identifica-se, funde-se, e passa pela experiência até o esgotamento e liberta-se deste corpo. Isto em diversos níveis de organização.

Acrescida desta experiência, muda de foco, inicia um novo campo de experiência e assim sucessivamente ad infinitum. A imersão pode ser parcial ou total, pois é muito fluida. Pode associar-se com outros focos de expressão. No ser humano, suas principais formas de manifestação são os instintos, emoções, imaginação, sensitividade e, eventualmente, a intuição, onde tem a possibilidade de se reconectar a uma fonte de vibrações mais sutis.

As qualidades do feminino citadas anteriormente podem ser consideradas expressões da alma. A maior parte do tempo procura fatores de convergência e assimilação, em diversos níveis. Sua polaridade pode ser considerada negativa, receptiva ou feminina.

A mente, de outro lado, pode ser considerada o aspecto masculino ou ativo da manifestação. É responsável pelos projetos, planos, análises, articulações, diferenciação, individualização, idéias, controles. No ser humano, seu principal foco de manifestação são os pensamentos. Tem passado por um longo processo de evolução, apenas a partir de certo ponto interagindo diretamente com a alma.
Eventualmente integra-se com a alma, integração esta simbolizada pela estrela de seis pontas, e surge um novo ser. A personalidade, em um nível mundano, é formada pelo encontro parcial da alma, da mente e da consciência. A maior parte das personalidades humanas ainda não está integrada. O ego, que gosto de chamar de complexo de identidade, pode ser considerado a cristalização de aspectos mais repetitivos e padronizados da personalidade. È um aspecto muito periférico do ser total, diretamente relacionado aos papéis que representamos.

A consciência (com ciência), que é neutra, participa da alma e da mente. Pode se manifestar simultaneamente em todos os corpos de expressão.
Um dos grandes problemas do que está dito acima, é o fato do ser humano ter sido criado a partir de focos de manifestação que têm um histórico completamente diferente e, portanto, tem dificuldade de juntar coisa com coisa; apesar de estar em um processo de integração. A partir desta junção, poderá ser realizada uma reconexão com o Grande Oceano de Luz. Para isto que estamos aqui.

Poderíamos dizer que o evolucionismo e o criacionismo são parcialmente verdadeiros.
Esta é minha breve história do tempo.

Bom, nos últimos 2000 anos o masculino esteve excessivamente atuante, e agora é o momento de procurarmos o equilíbrio.
Vamos então falar de aspectos do feminino em alguns sistemas simbólicos, com ênfase no Tarot.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *