O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Jung fala

A desordem é prerrogativa exclusiva do homem, cuja consciência e livre-arbítrio podem desligar-se contra naturam e, ocasionalmente, de suas raízes animais. Esta particularidade é a base imprescindível de toda cultura, mas também da doença psíquica, quando exagerada. A cultura é tolerável só até certo ponto, o dilema sem fim entre cultura e natureza, no fundo sempre uma questão de insuficiência ou excesso, nunca uma opção entre uma ou outra. 

PSICOLOGIA DO INCONSCIENTE – 7/1 – págs. 44-45

1 comentário

  1. É maldito o intervalo entre a insuficiência e o excesso… nele nada surge…. na insuficiência criamos… no excesso descansamos…. A desordem é a morada do desespero entre esses dois estados em que o artista se encontra… Pode-se inverter a ordem… aí dependerá do temperamento do artista….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *