O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Homosexualismo e budismo

Acho que  essa historia de Chagdud Tulku Rinpoche exprime a verdadeira espiritualidade. Ele foi um grande mestre budista que veio para o Brasil nos últimos anos de sua vida e fundou um Templo em Três Coroas, RS, o Chagdud Khadro Ling. 

Hoje existem templos de sua linhagem pelo Brasil todo. Em SP há um urbano, menor, e outro chamado Odsal Ling, que fica em Cotia. É muito belo e aberto a visitas, retiros, ensinamentos e praticas. 
Coletado no site sobrebudismo, ao qual cheguei via Monja Isshin e Leonardo Ota, a quem agradeço por compartilhar. 
 Essa história foi retirada do facebook de um aluno que presenciou esse fato.

 

Uma senhora, após a palestra do lama sobre a diversidade da vida, perguntou:
– Mestre, o que é um homossexual?

Ele: – Um homossexual é uma pessoa que faz sexo com o mesmo sexo.

Ela: – Acho que o senhor não entendeu… Como o budismo vê o homossexualismo?

Ele: – Nós não vemos o homossexualismo. No budismo, não temos o costume de ver as pessoas fazendo sexo.

Ela [impaciente]: – Mestre, o que eu quero saber é a opinião do budismo sobre pessoas que fazem sexo com o mesmo sexo.

Ele: – Alguém pode dar opinião sobre quem não conhece? Você está falando em “pessoas”. Que pessoas?

Ela [quase louca]: – Qualquer uma! Qualquer uma!

Ele: – Todas as pessoas são milagres.

Ela [começando a espumar]: – O HOMOSSEXUALISMO É CERTO OU ERRADO?

Ele: – Atos homossexuais consensuais são atos de amor.

Tudo isso com a mesma expressão de quem vê um passarinho azul. Seguem-se aplausos e gargalhadas. Rinpoche sorri.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *