O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Evocação das luzes da árvore de natal

luzes natal

Quem não ama uma árvore de natal iluminada? Rudolf Steiner fez uma linda evocação de seus dons, e abaixo uma breve historia de sua origem celta, cheia de simbologia:

“Que essas luzes da árvore de natal nos digam: – ′′O que quer que aconteça com você, o que quer que possa te atormentar, tudo que possa te arrastar para longe das esferas luminosas do Espírito, lembre-se em você de sua origem divina. Se você reconhecer essa força íntima da sua alma, você pode ter fé que a conquista das alturas está ao seu alcance. Se você, como por magia, puder levar à alma tudo o que da infância ainda é inocente e livre das tentações da vida, obterá uma imagem da alma humana antes das encarnações terrenas começarem”. – Rudolf Steiner

Para os antigos Celtas, o pinheiro  era a árvore cósmica, divina protetora do dia de Yule que é 21-22 de dezembro, Solstício de inverno. O pinheiro, uma árvore conífera, é definido como instrumento de comunicação entre o firmamento e a terra, representava a aspiração humana à busca interior. Os povos dos países escandinavos e germânicos, como tradição, pouco antes do Solstício de Inverno se deslocavam à floresta para cortar um pinheiro como rito propiciatório; trazido para dentro de casa, era decorado com guirlandas e doces: um ancestral da nossa Árvore de Natal.

Fonte: Tiziano Bellucci, tradução livre de Leonardo Maia em Biblioteca Virtual da Antroposofia, veja mais em bibliotecadaantroposofia@antroposofy.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *