O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Duas amigas de talento

Falar sobre amigas é uma coisa que pode ser bem difícil. Mas, como gostamos de coisas difíceis, eu, Bia, escrevo aqui esse post sobre duas queridas amigas, cujo talento nós duas muito admiramos.

Cássia Simone é uma psicoterapeuta junguiana de finíssima inteligência, empatia e sensibilidade. Uma “pisciana, portanto nebulosa, netuniana… Aventuras internas são minha maior diversão”, como ela mesma fala em seu blog, http://perspicassiasfelinas.blogspot.com/ que, obviamente, está aí ao lado, no link dos amigos.
Além disso, ela conta histórias e declama poesias como ninguém. É impossível esquecer certa noite escura e estrelada no sertão do Matutu, quando, ao redor de uma fogueira, ela contou a História do Ratinho.
Tenho certeza que, além do grande cachorro Simba e das vinte pessoas hipnotizadas, sentadas sobre toras de madeira ou esparramadas no chão, vieram escutá-la o saci pererê, ninfas do rio, e o espírito do próprio Ratinho-Águia, incorporado nela e em todos nós por meio de sua graça.

Neide Caldas, arquiteta de formação, na verdade é uma espécie de alquimista, que transmuta poesias em obras de arte. Ceramista premiada internacionalmente, essa imagem de cima é uma de suas belíssimas criações, que está no blog http://www.neide.net/pt/welcome, também sempre aí ao nosso lado.
Além da cerâmica, que muitas vezes conjuga com vidro e outros materiais, ela faz aquarelas, peças de tear, colchas de retalhos, e cozinha a nível de chef francês na casa que projetou e onde tem o ateliê de amplas janelas, abertas para a natureza que a inspira.
É literalmente uma artista de mão cheia, e uma das pessoas mais amorosas que conheço, unindo o calor de seus fornos (seja o de alta temperatura, o da cozinha ou o do coração) ao etéreo das idéias que abraça.

E, para mim, Cris, que penso muitas vezes as pessoas como imagens, a Cássia é essa meio mulher, meio gata, com uma calda de loba que escapa de vez em quando pela saia, uma tiara de asinhas na cabeça e que vive cercada de histórias. Além disso, tem um caldeirão que ela herdou da sua “vó” bruxa…
A Neide é uma gnoma da terra, mas que tem o cabelo de fogo, sempre usa cachecol (aonde eu acho que ela guarda seus mistérios) e vive num jardim encantado!

Nós duas não somos ricas de dinheiro, mas somos milionárias de amigas!

3 comentários

  1. Anônimo disse:

    Queridas obrigada por esta surpresa, adorei!
    Somos 4 mosqueteiras numa jornada maravilhosa.
    Beijocos Neide

  2. Cassia disse:

    Minhas queridas companheiras de jornada, vocês me fizeram chorar…
    Gracias pela profundidade de nosso encontro e por todo carinho belamente registrado…
    Amei a gata…

  3. Anônimo disse:

    querida dona neide sabe quero lhe pedir desculpa pelo fato de ter ido embora e nao ter falado com voce aconteceu tantas coisas que nao tive oportunidade de falar mas por acaso me veio seu sobrinome em mente consigui achar esse blogue saiba que fiquei muinto feliz por ter oportunidade de pedir desculpa e triste com tudo que aconteceu tempo na sua casa aprendi muintas coisas que nao esqueci desculpa por algum erros e por tudo e parabens pelo seu suçesso como sempre linda suas penças que deus te der sau de e continue asim forte e criativa deve ter tido oportunidade de explicar pensado tao mau de mim que pena que nao tive oportunidade de explicar desculpa novamente poderia ter nao so ter aprendido mais te ovido mais seus conselhos que era tudo verdade pelo pouco que estivemos perto deus esteja sempre com voce e continue te abençoando pelo seu coraçao bom espero que aceite minhas desculpa sao de coraçao mesmo depois de bom tempo… daniela . e robert

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *