O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

CICLOS

Escrevi essas palavras há alguns anos atrás, quando estava atravessando a menopausa e refletindo muito sobre os Mistérios de ser mulher. Deixei esquecidas num caderno antigo e achei há pouco numas das “limpezas”que faço sempre para descartar o velho e abrir espaço para o novo.   
CICLOS

Rubra cor 
Rosa Flor 
Sangrar, menstruar, florescer 
Seguir, fluir 

Rubra cor 
Rubro ardor 
Rubra dor 
Abrir, gerar, gestar 
Parir 
Sangrar, florar 
Fluir 

Rubra cor 
Tempo do fervor 
Sangue, calor 
Menos? Pausa? 
Fluir 
Abarcar, acolher, tecer 
Novas veias 
Novas teias 

Texto e ilustração de Cristina Balieiro

 

1 comentário

  1. Oi Cristina,

    Adorei seu poema, estou atravessando a menopausa também e sinto o mesmo, gostei especialmente da brincadeira com a palavra menopausa = menos+ pausa. Acho que é isso mesmo, passamos a vida correndo, fazendo coisas e precisamos diminuir o ritmo para SER.
    Bjs

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *