O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

A mulher só pode fazer uma coisa: respeitar a si mesma, diz uma ancestral abissínia

african-goddess-yes

Essa fala comovente de uma mulher abissínia tem algo a dizer para nós hoje: veja o último parágrafo, onde ela resume suas ideias sobre independência, respeito e natureza feminina. Parece uma ideia moderna mas vem de uma mulher imersa numa antiga sociedade patriarcal!

Essa é uma entre muitas outras falas, lendas, historias e ideias, baseadas na obra de Joseph Campbell, que Cris e eu vamos trazer em encontros abertos na livraria Millenium; o primeiro será nesse sábado, dia 10.

Faremos um círculo de mulheres focando o diálogo entre antigas mitologias femininas e nossa vida atual. Se isso falar a seu coração, o convite está no menu ao lado.

 

“A vida de uma mulher é bem diferente da de um homem. Deus fez assim. Um hoafr g 3mem é o mesmo, da época da circuncisão até o fim. É o mesmo antes de ter procurado uma mulher e depois. Mas, no dia em que a mulher goza do seu primeiro amor, ela é partida em duas. Torna-se outra mulher naquele dia.

O homem depois de seu primeiro amor é o mesmo que foi antes. A mulher é, a partir do dia de seu primeiro amor, outra. E continua assim por toda a vida. O homem passa uma noite com a mulher e vai embora. Sua vida e seu corpo são sempre iguais.

A mulher engravida. Como mãe, ela é diferente da mulher sem filho. Ela carrega a marca daquela noite ao longo de nove meses em sua barriga. Algo cresce. Algo surge em sua vida, que jamais a deixa. Ela é mãe. Ela é e permanece mãe mesmo que seu filho morra, mesmo que todos os seus filhos morram. Porque um dia ela carregou o filho no seu coração. Nem mesmo quando morre. E isso, o homem não sabe o que é.

Ele não sabe nada. Ele não conhece a diferença entre antes e depois doafrican g2 amor, entre antes e depois da maternidade. Ele não sabe nada. Só a mulher pode saber e falar disso.

É por isso que nossos maridos não nos podem dizer o que devemos fazer.  A mulher só pode fazer uma coisa. Respeitar a si mesma. Manter-se decente. Ela tem sempre que estar de acordo com sua natureza. Ela tem sempre que ser donzela e mãe. Antes de cada amor, ela é uma virgem, depois de cada amor, uma mãe. Nisso, pode-se ver se ela é uma boa mulher ou não.”

 

Fonte: Joseph Campbell – livro Mitologia primitiva –  Ed Palas Athena – Pg 287

2 comentários

  1. maria avany augusto da silva disse:

    Maravilhosa materia!!!

  2. Maria Aparecida disse:

    Estou encantada!! Fascinante sabedoria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *