O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Sonu Shamdasani fala sobre Jung


Ele não esperava que seu aparato científico, que é como ele via isso, viesse a prover sentido para a vida das pessoas. Ele via todo empreendimento como algo que tornaria os indivíduos capazes de reencontrar sua própria linguagem, desenvolvendo suas próprias cosmologias. E, como ele disse, evitava usar conceitos dentro de suas práticas terapêuticas. Se alguém chegasse falando sobre espíritos, ele falava sobre espíritos.
LAMENTO DOS MORTOS – pág. 24

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *