O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Um ano de Encontros de Mitologias do Feminino, um círculo muito vivo

Há um ano estamos fazendo mais essa jornada para buscar a voz feminina nos mitos, nos contos de fadas, na história, em nós duas e nas pessoas que participam disso conosco. São Encontros de Mitologias do Feminino, mas de mitologias que estão muito vivas!

O que significa que é nas reações, risadas, espantos, indignações, identificações, trocas, depoimentos e papos das pessoas que estão lá que a gente se encontra de verdade.

Nossa dinâmica é simples: nos primeiros 50 minutos levamos a pesquisa que fizemos, na próxima hora as participantes se manifestam, na ultima meia hora há breve apresentação.

O formato é de roundtable, nos moldes que Joseph Campbell reinventou inspirado na Távola Redonda dos Cavalheiros do Rei Arthur (ou em círculos femininos ainda mais antigos).

Seja como for, nós nos reunimos em círculo (meio ovoide, na verdade), forma que não aceita bem chefes, autoridades, hierarquia – como boas filhas dos anos 1960, nós não acreditamos em nada disso. E, do nosso jeito, talvez a gente esteja querendo mesmo viver uma Avalon feminina e concreta…

Começamos a buscar a voz feminina na Pedra Lascada e agora estamos no Egito dos anos 1200 AC. Vamos devagar, num ritmo femininamente orgânico mas que segue certa cronologia.

Escolhemos os temas bastante guiadas pela intuição e então fazemos pesquisas fundamentadas, aí sim, em autoridades nos assuntos – tipo Joseph Campbell, Marija Guimbutas, Jung e a penca de junguianos que lemos sem parar.

Como são temas que tem a força dos arquétipos, quando estamos pesquisando é comum acontecer sincronicidades. Eu adoro quando isso ocorre, porque para mim é mais uma indicação de que estamos no caminho certo.

No correr desse ano conhecemos muitas mulheres maravilhosas e reencontramos outras. Algumas vem todas as vezes, outras de vez em quando. Homens também são benvindos, e vez ou outra aparecem simpatizantes da causa.

Os Encontros geralmente acontecem na tarde do segundo sábado do mês, e divulgamos por mala direta, no facebook e aqui. São gratuitos, apenas com a taxa de $ 5,00 para manutenção do espaço que nos acolhe, a linda livraria Millenium. Para chegar ao salão atravessamos um jardim com fonte e arvores, como para ir a um espaço magico e fora do tempo…

Temas dos Encontros desde setembro de 2016:

  • O massacre das mulheres no paleolítico e de agora
  • Belas e feras através dos tempos (Mulher Bufala, Eros e Psique, A Bela e a Fera)
  • Mitos agrários da Grande Serpente, do Milho e da Menina da Lagoa
  • O sacrifício nos tempos da Grande Deusa e nos dias de hoje
  • A Grande Deusa e um conto de fadas muito feminino
  • O Caminho do labirinto
  • Creta: ancestral sociedade de parceria
  • A Lua, o tarô e a prostituta sagrada
  • Inana, um mito de iniciação feminina
  • Menstruação: tabus, rituais, sentidos
  • Sekhemet, a Leoa guardiã de limites
  • Mãe, pai, filho e o mito de Isis

 

2 comentários

  1. Parabéns, meninas queridas! É mesmo uma tarde fora do tempo/espaço e um enorme manancial de conhecimento, de uma forma muito orgânica, muito natural mesmo. Pude estar presente em muitos desses encontros, infelizmente não pude estar nos últimos, semana passada eu tive um mastermind em Brasília (por que os eventos têm que conincidir?), mas somos seres da natureza e vamos nos encontrando. O coração nunca se afasta, essa é a verdade soberana!
    Bjs e muito sucesso mitológico vivíssimo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *