O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Heroínas do Brasil – Guiomar Novaes

Guiomar Novaes (1894/1979) pianista
Guiomar
Guiomar nasceu em São João da Boa Vista, interior de São Paulo. Foi a décima sétima dos dezenove filhos do casal Ana de Carvalho Meneses e de Manuel José da Cruz Novaes.
O piano, presente em sua casa e utilizado nas aulas de suas irmãs, logo despertou o interesse de Guiomar, que, aos quatro anos, começou a tocá-lo de ouvido. Aos seis anos passou a tomar aulas com Eugenio Nogueira, professor paulista, e ingressou, por vontade própria, no jardim de infância. Desde os primeiros dias na escola acompanhava, ao piano, as canções cantadas pelas colegas. Guiomar era vizinha de Monteiro Lobato e foi ela quem inspirou o escritor a criar a personagem Narizinho, a “menina do nariz arrebitado” do Sítio do Picapau Amarelo.
Guiomar passou a ter aulas de piano com Luigi Chiaffarelli, um importante mestre italiano e em 1902, com oito anos, deu o seu primeiro concerto. Em 1909, aos 15 anos com o auxílio do Governo do Estado de São Paulo, partiu para a Europa, para estudar em Paris.

Na capital francesa, Guiomar inscreveu-se para prestar provas no Conservatório de Paris; havia 331 candidatos para doze vagas. Claude Debussy que fazia parte da comissão julgadora falou de Guiomar: “Eu estava voltado para o aperfeiçoamento da geração de pianistas da França…; a ironia habitual do destino quis que o candidato artisticamente mais dotado fosse uma jovem brasileira de quinze anos. (…) ela tem os olhos ‘ébrios da música’ e aquele poder de isolar-se de tudo que a cerca – faculdade raríssima – que é a marca característica do grande artista”.
Foi admitida em primeiro lugar, por unanimidade! Em 1911, na prova de encerramento do curso do Conservatório de Paris, Guiomar venceu a prova, que contava com 35 concorrentes, e ganhou o Primeiro Prêmio – que compreendia a quantia de 1200 francos e um piano de cauda.

Depois de conquistar o primeiro prêmio Guiomar teve diversos oferecimentos de contratos, tocando em Paris, Londres, Genebra, Milão e Berlim. Em 1913, retornou ao Brasil e se apresentou em São Paulo e no Rio de Janeiro. Com o início da primeira guerra mundial, Guiomar cancelou todos os compromissos na Europa e continuou apresentando-se no Brasil. Em 1915, fez sua estreia nos Estados Unidos, realizando uma fantástica temporada, tocando em Nova Iorque, Boston, Chicago, Norfolk, Newport e outras cidades norte-americanas, sendo aclamada pela crítica do país. Mudou-se para os Estados Unidos e continuou a se apresentar tanto lá como no Brasil. A imprensa americana a reconheceu como a melhor pianista do mundo.

Em 1922 Guiomar participou da Semana de Arte Moderna. Nesse ano também se casou com Octávio Pinto, com quem teve dois filhos. A partir de 1922, Guiomar passou a incluir nos seus recitais as obras de Villa-Lobos, tornando-se importante divulgadora dele nos Estados Unidos. Nas décadas de 1960 e 1970, Guiomar foi condecorada com diversos títulos, medalhas, insígnias e comendas, e homenagens como a Ordem Nacional do Mérito, concedida pelo governo brasileiro, além de ter sido elevada ao grau de Cavaleiro da Legião de Honra de França.

Desde o começo uma revelação, permaneceu 62 anos brilhando nos palcos. Guiomar faleceu em 1979 aos 85 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *