O Feminino e o Sagrado um jeito de olhar o mundo

Sabedoria da Água e dia de Iemanjá

Amanhã, dois de fevereiro, é dia de Iemanjá, divindade da Água. Anos atrás, exatamente nesse dia Cris e eu começamos a pesquisa para o livro O feminino e o Sagrado, e no mesmo dia pedimos ao I Ching orientação para escreve-lo. Não por coincidência, saiu o hexagrama Água, com orientação quase igual a essa abaixo, que foi escrita por Roberto Otsu em seu livro A sabedoria da Natureza. Deixar fluir é o conselho que vale para todos os dias do ano… 
Tirei essa foto no Big Sur, maravilhoso trecho do litoral da Califórnia. Salve Iemanjá e todas as divindades da Água!  

 

Os mestres dizem: “A água vai pelo caminho mais fácil”. Quando vemos um filete de água no quintal ou o curso do rio numa paisagem, é fácil “entender” esta frase. 
 
Mas quantos de nós paramos para pensar sobre essa realidade antes de ter lido ou ouvido estas palavras? Que a água vai pelo caminho mais fácil é um fato tão natural e óbvio que não paramos para pensar sobre o que isso significa. Quando observamos nossos próprios comportamentos, temos impressão que gostamos de complicar tudo.
 
Para os sábios orientais, qualquer coisa que exija esforço demais, não é natural. Ou as coisas acontecem naturalmente, sem desgastes, ou a pessoa está atrás de alguma coisa que não corresponde às possibilidades do momento. Se existe esforço excessivo a pessoa pode estar tomada pelo desejo e pela obstinação. E, muitas vezes, para conquistar o objeto de desejo, ela acaba tendo atitudes insensatas como ir pelo caminho de maior atrito e de maior dificuldade.

 

Tudo funciona melhor quando existe afinidade entre os elementos. Numa relação afetiva, na amizade, nas parcerias de trabalho, na ascensão profissional, as coisas funcionam dessa forma. Quando uma pessoa gosta do que faz, é mais fácil progredir. Não há esforço, tudo é gratificante. Quando as pessoas são afins, não há formalidades. As coisas fluem.

 

Não é esforço nenhum para a água descer um terreno em declive e pelos caminhos abertos.”
 

Trecho do livro A sabedoria da Natureza, de Roberto Otsu, Ed Ágora 

 
post de Bia Del Picchia

5 comentários

  1. san disse:

    Que lindo! Adorei e essa leitura veio para mim no momento certo. Obrigada meninas. bj san

  2. O livro do Otsu é todo assim, San… beijo!

  3. parece bem interessante esse livro….muito bacana o texto.

  4. Carol Costa disse:

    Quanta sabedoria! Gratidão, mais uma vez!

  5. Cassia e Carol, é mesmo um livro bacana e baseado na sábia tradição taoista.
    beijos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *